14/09/2018 08h41

Estudantes do ensino médio agradeceram aos funcionários da lanchonete depois de acharem vermes em vários lanches

Os pais e os estudantes ficaram apenas se perguntando o que, exatamente, está acontecendo na lanchonete

PUBLICIDADE
Yahoo!

Yahoo!

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Depois de vários estudantes do colégio Madisonville Middle em Monroe, Tennessee, EUA, acharam o que pareciam ser vermes nos lanches fornecidos pela lanchonete nessa terça-feira, alguns deles foram instruídos a escreverem bilhetes agradecendo aos funcionários da lanchonete, informa o Knoxville News Sentinel.

 

Um estudante, Madison Smith, enviou um vídeo para sua mãe, na terça-feira, mostrando os vermes, ou algum tipo similar de inseto, andando pela sua granola.

 

Então, em uma estranha reviravolta, depois dos pais levantarem esse problema na escola, os alunos foram incumbidos de enviarem bilhetes para a lanchonete, agradecendo aos funcionários pelo seu trabalho.

 

Shubert mostrou ao News Sentinel uma foto que sua filha enviou da aula onde se pode ver as tarefas anotadas no quadro negro. O quadro instruía as crianças, após terminarem o dever de matemática, a “escrever uma carta para o pessoal da lanchonete” e utilizar “linguagem descritiva” para dizer sobre o que os estudantes estavam agradecidos.

 

“Nós estamos fazendo um esforço para sermos positivos,” dizia a nota.

 

Preocupados, e com razão, vários pais apareceram no encontro de classe na quinta feira, para perguntar sobre as condições de saneamento da escola.

 

Shubert e outra mãe, Misty Neal, compareceram, mas os membros do conselho escolar os dispensaram dizendo que o problema “já estava sendo resolvido” e não seria mais discutido por não estar na agenda do conselho da escola.

 

“Eles disseram que entraram em contato com a distribuidora dos produtos e que o departamento de saúde já havia ido lá, e era tudo o que podiam fazer”, disse Shubert ao News Sentinel. “Nós não ficamos felizes com a resposta e dissemos que iríamos mais a fundo no assunto e procuraríamos novamente o departamento de saúde do estado”.

 

Em uma entrevista por telefone com o News Sentinel na sexta-feira, a chefe do conselho da escola, Jenie Harrill, disse que o problema já tinha sido resolvido.

 

Ela enfatizou que a empresa que produzia a granola foi contatada, a lanchonete já havia sido inspecionada pelo departamento de saúde e recebido uma boa avaliação e, depois do ocorrido, foi inspecionada novamente.

 

Uma mulher, que se dizia gerente da lanchonete, deixou uma mensagem no Facebook do colégio tentando esclarecer a situação e se desculpou.

 

Na quinta feira, dois dias depois do incidente com a granola, estudantes acharam o que pareciam larvas em suas amoras.

 

Os funcionários retiraram as amoras do refeitório. Os responsáveis disseram que as amoras foram lavadas três vezes antes de serem servidas.

 

Uma mãe de um estudante, Misty Neal, disse que seu filho notou as larvas enquanto tomava o café da manhã na escola.

 

“Eu não acreditava no que estava vendo, depois de assistir o vídeo hoje,” disse a mãe, preocupada. “Os últimos dias foram preocupantes. Algo tem que ser feito. Isso não pode acontecer de novo. Simplesmente não pode”.

 

Outra mãe compartilhou o vídeo das amoras infestadas com insetos no Facebook.

 

Na sexta-feira de manhã, o diretor da escola, Tim Blankenship, não quis discutir o incidente das amoras com o News Sentinel, focando somente na granola e explicando que os funcionários da escola acreditam ser um problema isolado.

 

Os pais e os estudantes ficaram apenas se perguntando o que, exatamente, está acontecendo na lanchonete.

 

 

Tanya Edwards

PUBLICIDADE