12/10/2017 15h10 - Atualizado em 12/10/2017 14h10

Boas razões para não ter filhos

Este artigo não pretende convencer ninguém a não ter um filho

PUBLICIDADE
HypeScience

HypeScience

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Ter filhos é uma decisão pessoal. Ninguém deveria lhe dizer o que fazer em relação a este assunto. No entanto, se você já decidiu não ter filhos e está cansado(a) de ter que se justificar, pode aproveitar alguns dos argumentos abaixo, reunidos em um vídeo criado pelo pessoal do AsapSCIENCE.

 

Razão número um

Se você acha que um bebê pode unir ainda mais um casal, na verdade, diversos estudos descobriram que ter um filho leva a uma piora no relacionamento entre duas pessoas.

 

Matthew D. Johnson, professor de psicologia da Universidade de Binghamton e da Universidade Estadual de Nova Iorque, examinou décadas de estudos sobre os efeitos psicológicos de ter um filho, concluindo que a taxa de declínio na satisfação com o relacionamento é quase duas vezes mais íngreme para casais que têm crianças do que para casais sem filhos.

 

No caso de uma gravidez não planejada, os pais experimentam impactos negativos ainda maiores sobre seu relacionamento.

 

Razão número dois

A insatisfação com o relacionamento pode advir do fato de que os casais discutem muito sobre como criar os filhos.

 

Além disso, ter um bebê significa que vocês vão dormir pouco, e o sono é simplesmente essencial para a saúde – não descansar o suficiente leva a um risco maior de doenças cardíacas e problemas mentais, reflexos lentos, sistema imunológico enfraquecido etc.

 

Privados de uma boa rotina de sono, o humor das pessoas também piora muito, o que não faz elas se sentirem felizes, certo?

 

Razão número três

Dinheiro. Aqui, existe uma contradição, no entanto. De acordo com a Secretaria de Estatísticas Trabalhistas dos Estados Unidos, mulheres com filhos ganham 3% menos do que as sem filhos, mas os homens ganham 15% mais. Isso está relacionado com a cultura machista em que vivemos, na qual um pai é visto como um “provedor”, e uma mãe é vista como uma “cuidadora”. Logo, ela precisa ficar em casa, e ele precisa ganhar bastante dinheiro.

 

Sim, o salário de pessoas com filhos muitas vezes não tem nada a ver com suas habilidades profissionais. Um estudo da Universidade Cornell descobriu que, quando currículos idênticos são enviados, exceto por uma linha que indica que a pessoa é membro de uma associação de pais e professores, mulheres recebem respostas com a metade da frequência de suas colegas sem essa observação no currículo, enquanto os homens recebem mais respostas.

 

Pais ganham mais, mães ganham menos. De qualquer forma, talvez este salário um pouco maior não seja suficiente para cobrir os gastos enormes de se ter um filho. Nos EUA, em 2015, a média de custo para criar um filho até os 17 anos era de US$ 233.000 – sem contar educação universitária. Ah, e sem contar todas as birras que o pentelho vai fazer por um chocolate caro ou um brinquedo que ele não vai tocar nenhuma vez na vida também.

 

Razão número quatro

Sim, se você sempre quis ter filhos, quando você de fato tem um pimpolho, sua satisfação com a vida pode aumentar (mas não é certeza). Mas as pesquisas também mostram que sua satisfação de vida não será maior do que a de uma pessoa que não tem filhos por escolha própria. Logo, se você não deseja ter um bebê, o argumento “Mas crianças trazem tanta alegria!” não é verdadeiro.

 

Razão número cinco

Não ter filhos também é melhor para o planeta. Já ultrapassamos a marca de mais de 7,5 bilhões de ser humaninhos vivendo neste globo azul. Cientistas creem que nossos recursos, se continuarem sendo usados da forma que são, só serão suficientes para sustentar até 10 bilhões de pessoas.

 

Logo, é melhor que as famílias a partir de agora sejam pequenas, ou até que casais não tenham filhos, para evitar ameaças de superpopulação, como fome em massa.

 

Não ter filhos também é mais ecológico: uma criança nos EUA produz tantos gases do efeito estufa quanto 106 crianças no Haiti. Quanto mais desenvolvido um país, mais dióxido de carbono é produzido durante a vida de uma pessoa.

 

Se você é adepto de cuidar do meio ambiente, pode se tornar vegano, não andar de carro, não andar de avião, ou… não ter um filho.

 

Conclusão

Não odiamos bebês. Pelo contrário, eles são a coisinha mais fofa do mundo. Este artigo não pretende convencer ninguém a não ter um filho, apenas servir de conforto para aqueles que já não pretendem ter: você provavelmente está certo(a)! [AsapSCIENCE]

PUBLICIDADE