10/01/2017 15h10 - Atualizado em 10/01/2017 13h49

Americano é demitido após acompanhar nascimento do filho

Austin teria pouca ou nenhuma proteção legal

PUBLICIDADE
Yahoo

Yahoo

PUBLICIDADE
Delta Ativa

Sua esposa chega ao nono mês de gravidez e além de alegres, todos ficam ansiosos. Ela entra em trabalho de parto e você corre para levá-la ao hospital. Tudo nos conformes, certo? Aí fica aquela expectativa para o nascimento do bebê e o pai fica de plantão no hospital aguardando o grande momento.

 

A história de Lamar e Lindsay Austin, que vivem em New Hampshire, nos Estados Unidos, aconteceu assim, mas o final foi um pouco diferente. Ao invés dos parabéns, a empresa em que ele trabalhava, a Salerno Protective Services, enviou uma carta informando que ele estava demitido. E tudo porque ele estava no período de experiência de 90 dias.

 

A atitude da empresa perante a família de Lamar sensibilizou Sara Persechino, que soube do caso por uma amiga. Ela lançou uma campanha de financiamento coletivo no site “Go Fund Me” para tentar ajudar os Austin.

 

E como não poderia deixar de ser, o ocorrido viralizou nas redes sociais atraind inúmeras ofertas de emprego para Lamar e ele deve voltar a trabalhar em breve.

 

“As vezes você perde uma coisa e ganha outra muito melhor”, disse Austin em entrevista ao site Concord Monitor.

 

O outro lado

A antiga empresa em que Lamar trabalhava disse que não comentaria o caso. A lei em New Hampshire permite que as companhias demitam por qualquer razão, mesmo que uma delas possa ser o nascimento de um filho. E isso significa que na prática, Austin teria pouca ou nenhuma proteção legal se decidisse processar seu antigo empregador.

 

Com informações do Concord Monitor.

PUBLICIDADE