08/12/2017 11h25 - Atualizado em 08/12/2017 16h36

FOTOS: 268 alunos recebem diplomas por conclusão do PROERD em Taió

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Delta Ativa

Na noite da última quinta-feira (07/12), foi realizado no Ginásio Vital Valentini, a formatura dos alunos da rede de ensino municipal, estadual e privada, que participaram do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (PROERD). De acordo com informações do comando da Policia Militar (PM), que coordenou toda a etapa do programa, 268 alunos obtiveram o certificado de conclusão do curso na noite deste último 07 de dezembro. Além dos diplomas, muitos estudantes levaram para casa brindes que foram doados por empresas e apoiadores do programa.

 

O PROERD tem a duração aproximada de cinco meses e em Taió atualmente é ministrado pelos instrutores Jonas Marchiori, 1° Sargento da Polícia Militar, e pelo Soldado Vanderlei Bridarolli. A formatura contou com a presença de diversas autoridades, entre elas a do prefeito Almir Guski, que, em sua oportunidade, ressaltou a importância do programa e parabenizou a todos os envolvidos no programa.

 

O QUE É O PROERD

O PROERD (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência) surgiu no ano de 1983, com a criação do D.A.R.E (Drug Abuse Resistance Education), modelo norte-americano desenvolvido pelo Distrito Escolar e Departamento de Polícia de Los Angeles, que de forma didática e pioneira buscava atuar na prevenção ao uso de drogas pelas crianças e adolescentes, trabalhando uma nova postura educacional e atuando com policiais dentro da própria sala.

 

O Projeto inicialmente desenvolvido por um grupo composto por psicólogos, policiais e pedagogos obteve grande sucesso em todos os Estados Norte-Americanos, como posteriormente em mais de 40 países conveniados. No Brasil o D.A.R.E chegou em 1992, através da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, e em 1993 foi implantado pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, recebendo o nome em português de Proerd. Em Santa Catarina o programa teve início em 1998 e no Alto Vale no 2º semestre do ano de 2000.

 

 

OBJETIVOS DO PROGRAMA

  1. A) Trabalhar sobre as causas do uso de drogas lícitas e ilícitas estabelecendo sobre os riscos decorrentes da dependência química e orientando as crianças, adolescentes, assim como seus pais ou responsáveis, acerca da busca de soluções e medidas eficazes quanto à resistência às drogas;
  2. B) Fortalecer a auto-estima das crianças e adolescentes a valorizarem a vida, mostrando opções saudáveis de comportamento, longe das drogas e da violência;
  3. C) Sensibilizar as crianças e adolescentes para valores morais e éticos, possibilitando a visualização, bem como proporcionar a construção de uma sociedade mais justa, sadia e feliz;
  4. D) Disponibilizar aos pais e/ou responsáveis ferramentas para que, quando questionados sobre os efeitos negativos das drogas, possam atender às expectativas, bem como mostrar a importância do fortalecimento da estrutura familiar;
  5. E) Prevenir a criminalidade relacionada direta ou indiretamente ao uso de drogas;
  6. F) Disponibilizar aos Policiais Militares técnicas pedagógicas adequadas para aplicação do programa para crianças, adolescentes e para pais e/ou responsáveis;
  7. G) Ensinar e aprofundar os conhecimentos dos Policiais Militares quanto às drogas lícitas e ilícitas, questões legais sobre o tema e como proceder quando da constatação de alguma forma delituosa dentro e nos arredores do ambiente escolar;
  8. H) Aproximar a Polícia Militar da comunidade escolar, e por consequência da comunidade em geral. Proporcionando um clima de parceria e confiança, gerando informações tornando possível um melhor atendimento aos anseios sociais, bem como mostrar a importância do papel social da corporação.
  9. I) Desenvolver o programa, da Polícia Militar, de prevenção primária ao uso das drogas, alertando sobre os malefícios causados à saúde física e mental do usuário das referidas substâncias.

 

 

SÍNTESE DO PROERD EM SANTA CATARINA E TAIÓ

O PROERD teve início em Santa Catarina em março de 1998, na cidade de Lages, obtendo resultados significativos já naquele primeiro semestre, fazendo com que a cidade de Chapecó também adotasse o Programa no segundo semestre, sendo que ambas formaram somente neste primeiro ano, aproximadamente cinco mil crianças.

 

Com colaboração das Policiais Militares co-irmãs de São Paulo e Distrito Federal, foi possível melhorar nosso quadro de instrutores Proerd, passando de 07 instrutores no final de 1998 para 73 no final de 1999, sendo que atualmente existem mais de 200 policiais que voluntariamente se dedicam a essa atividade, possibilitando que anualmente dezenas de milhares de pequenos catarinenses sejam vacinados contra as drogas e a violência.

 

Adotado em praticamente quase todos os munícipios do Estado, a Polícia Militar de Santa Catarina é referência nacional do programa, sendo superada em números absolutos apenas por São Paulo, que iniciou o Proerd cinco anos antes.

 

Em Taió, formamos no ano de 2001, 315 alunos; em 2002, 317; em 2003, 309; em 2004, 321; em 2005, 305; 2006, 311; em 2007, 316; em 2008, 310; em 2009, 308; em 2010, 303; em 2011, 309; em 2012, 305; em 2013, 314; em 2014, 310; em 2015, 308; em 2016, 318; e por fim em 2017 formamos 268 alunos de 5º série da rede escolar de Taió. Com isso temos 5.247 crianças que passaram pelo Programa somente em Taió.

 

 

PÚBLICO ALVO

O PROERD é destinado a atender crianças das quintas séries do ensino fundamental, de escolas públicas e particulares, das redes estadual e municipal de ensino.

 

Também os instrutores são selecionados antes da sua capacitação, não podendo ser fumantes ou possuir outros vícios, necessitando ter uma conduta compatível e digna dentro da sociedade e da própria Corporação.

 

 

NECESSIDADE DO PROGRAMA

Diante do crescente poder de atração das drogas, que ilude e destrói nossas crianças, jovens e adultos, as organizações governamentais e não governamentais, relacionadas direta ou indiretamente à segurança pública, têm se empenhado de várias formas e com valores altíssimos no sentido de coibir o tráfico e o uso de entorpecentes. É sabido que a prevenção sempre é mais barata que a repressão, e se reveste de uma atitude onde os indivíduos ainda são sadios e não experimentaram o hábito do vício, e é justamente onde o PROERD procura atuar, proporcionando o conhecimento e ferramentas para as crianças e os adolescentes evitem ou saiam das situações de risco.

 

Diante deste quadro, torna-se imprescindível que todos os organismos da sociedade estejam engajados na busca de soluções. Reunindo família, polícia e escola, o Proerd busca orientar a criança dentro da sala de aula, com policias fardados e compromissados com o programa. Através de 10 lições e com cartilha apropriada, o proerdiano repassa de forma clara e compreensível todos os malefícios das drogas lícitas e ilícitas, trabalhando ainda a autoestima, procura ensinar a criança através do Método de Tomada de Decisão PROERD que ela está no controle podendo evitar ou sair de uma situação de risco.

 

É bem verdade que todo esse esforço representa pouco diante da ousadia e da sofisticação do crime organizado, mas torna-se premente que busquemos juntar esforços para impedirmos que cada vez mais nossas crianças sejam encaminhadas para este submundo das drogas. Não nos é permitido que assistamos a tudo sem nada fazer. Precisamos sim, trabalhar conjuntamente na busca de resultados ainda mais concretos e expressivos, sob pena de deixarmos um legado muito sombrio para nossos filhos e netos.

PUBLICIDADE